Como nasce a revolta

Tem gente que suporta passar fome, suporta humilhações, suporta morar de favor, suporta o desemprego, suporta a vergonha, suporta ser sustentado e a interferência de outros na sua vida a fim de continuar recebendo migalhas.
Tem gente que dá graças a Deus pelo pouco que tem, porque a coisa poderia estar pior, afinal tem gente morando debaixo da ponte ou vendendo o corpo para sobreviver.
Mas tem gente que não, não aceita, não se rende.
A revolta nasce quando você não suporta e não aceita uma situação dessas.
Cada pessoa tem um limite. A revolta chega quando você chega no seu limite.
Qual é o seu limite? Até onde vai suportar sofrer?
Lembro como se fosse ontem quando senti revolta pela primeira vez.
Meu marido ficou um ano desempregado. Enquanto tinha o dinheiro do acerto, tudo bem.
Enquanto tinha coisas para vender pra sobreviver, tudo bem.
Mas quando vi que não tinha mais jeito e que eu ia passar fome; que todas as empresas recusaram dar emprego; que eu teria que depender de outros… ah, pra mim era demais. Isso eu não poderia aceitar, chegou no meu limite.
A única coisa de valor que ainda tínhamos foi pro altar, pra Deus.
E não fui envergonhada.
Essa foi a primeira vez, mas tiveram outras revoltas. E cada uma delas nasceu da mesma forma, quando disse: “Ah, isso não aceito!”
Com a revolta, você faz o impossível acontecer, porque não aceita o contrário!! Você persegue o que quer até conseguir e o caminho mais curto é o altar.

Obr. Lúcia
Cristão da Universal

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Engana sim! Mas engana a você mesmo!

Na beira de um precipício

Negando o chamado e caminhando para os braços de satanás