Minha vida: Testemunho Parte I


Os testemunhos edificam a obra e com certeza glorificam o nome do Senhor! Vou contar a vocês um pouco da minha vida. Meus pais casaram quinze dias após terem se conhecido. Tinham muitas dificuldades financeiras. A minha mãe engravidou e devido a muitos problemas perdeu seu primeiro filho, o que pra ela foi um choque já que era uma jovem de quinze anos. Algum tempo depois ela engravidou de novo, e após muitos, (mas muitos problemas mesmo), eu nasci. Creio que nasci pela misericórdia de Deus pois Ele já tinha planos para mim, a minha mãe quase me abortou, pois haviam sido feitos “trabalhos” para que isso acontecesse. Na época minha mãe, minha vó e meu pai foram a um centro espírita para resolver o problema. Engano deles trocaram um problema por vários.
No dia que eu ia nascer não havia médicos no hospital, sendo assim minha mãe ficou um dia com dores e eu nasci só no outro. Eu tinha muitas complicações no pulmão por ter demorado a nascer. Lembro que na minha infância eu era muito magra.
Meus pais sempre trabalharam muito pra nos dar o melhor que podiam. Somos três irmãs, eu, Dani e Carla a mais nova.
Eu lembro que sempre acreditei muito em Deus, falava muito com Ele, e por incrível que pareça Ele falava comigo também. Quando eu tinha seis anos de idade nasceu Carla a minha irmã mais nova. Nessa época meu pai estava com um bom emprego, reformou a casa... E nesse tempo vieram as lutas, pois Carla com cinco meses de vida, começou a desenvolver problemas de saúde que os médicos não conseguiam achar o que era. Hoje eu sei que isso aconteceu no mundo espiritual, pois doenças espirituais não se encontram na carne. Isso foi obra do mal. Lembro de uma vez que alguém jogou de noite uma sacola com açúcar, enxofre etc. dentro do pátio de nossa casa, meus pais ficaram apavorados e eu observava aquilo pois não sabia o que era. A partir daí a situação da minha irmã só piorou, parava mais no hospital do que em casa, tudo que ela comia não ficava no estômago um minuto sequer. A minha mãe parou de comer devido ao desespero e também ficou doente. Eu e a Dani rolávamos de casa em casa. E meu pai tentava dar conta de tudo isso, mas ele também tem gastrite nervosa o que o deixava mal também.
Foi ai que o médico disse: “Leva a Carla pra casa, pois a medicina não tem mais o que fazer, já fizemos todos os exames possíveis, demos todos os remédios e nada. Não há mais o que fazer.” Ou seja na visão do médico, na visão humana não tinha mais salvação. Sentença de morte sem nem ter vivido praticamente nada.
Começou o desespero...
(Volte para a continuação)

Deus honra! Certeza!

Comentários

Postar um comentário

Comentem muito!!!! Que Deus abençõe!

Postagens mais visitadas deste blog

Engana sim! Mas engana a você mesmo!

Na beira de um precipício

Negando o chamado e caminhando para os braços de satanás